Uma nova tendência francesa: Boutis

Tradicionalmente fabricada em Provence, o boutis francês tem suas raízes de trabalhadores sicilianos. O primeiro modelo pode ser datado de 1395,  que ilustra a história de Tristão e Isolda.

Boutis é uma palavra  que significa “recheio”. Também chamado como bordado de Marselha, é criado pela combinação de dois panos finos. Os motivos de um boutis são mais volumosos, e carregados de símbolos: animais, flores, frutos, corações, mas também, folhas de carvalho, várias cruzes, símbolos religiosos.

Atualmente, essa forma de bordado deixou de ser um simples costume para se tornar uma tendência em decoração de enxovais para cama. Ficam lindos e deixam o visual do seu quarto extremamente elegante com um toque frânces.

Onde encontrar: http://tinyurl.com/d8hb7lg

O poder da cortina na decoração

Uma bela cortina pode mudar completamente o ambiente. Se você tem móveis que precisam de troca, sofá arranhado pelos gatos e tapete que a criançada grudou doce, acredite em mim, não está tudo perdido! Comece a renovar a decoração a partir da cortina. Se souber fazer a escolha certa, vai notar a diferença na hora. Pensando nisso resolvi escrever este post, com dicas de como escolher a opção perfeita para o que está procurando.

 Antigamente só se via cortina para trilho, elas são lindas, dão um clima mais luxuoso, mas em compensação são barulhentas e exigem muita paciência na hora de fixá-las, desta forma as cortinas para varão se popularizaram. Além de mais baratas são fáceis de colocar. Na hora de comprar, saiba as medidas exatas da sua janela, dando uma sobra de no mínimo um metro, assim ficarão mais volumosas.

 • Para ambientes mais sofisticados: CORTINAS LONGAS

Pendure o varão ou o trilho bem a cima da janela e tire a medida exata até o chão. Notará como o cômodo fica chique, ainda mais se o modelo for de sobreposições, com uma forração mais pesada, que pode ser tergal ou blackout, para bloquear o sol, e por cima um tecido mais leve. Como esta da La Vive, que está com desconto na Casa da Sogra Enxovais:

 • Para o quarto das crianças: CORTINAS CURTAS

Os filhotes adoram brincar no chão, então cortinas longas podem incomodar ou estimular os arteiros a brincar de Tarzan. A minha dica é buscar uma cortina que cubra apenas a medida da janela. Como esta:

Existem também modelos de personagens tanto para os meninos, quanto para as meninas, eles vão adorar!

 • Para cozinha: CORTINAS DE POLIÉSTER

Em boa parte das plantas de casas e apartamentos, a janela da cozinha fica em cima da pia, e nem sempre queremos lavar a louça nos bronzeando, e é aí que a cortina entra. Eu, particularmente, acho muito charmosas aquelas cortinas com temas florais, galinhas ou vaquinhas, combinam muito, e são descontraídas. Procure materiais sintéticos para ajudar na hora de limpar, já que elas podem ficar sujas de gordura.

• Para pequenos ambientes: PERSIANAS

Na falta de espaço, opte por persianas, que são mais compactas e é só puxar a corda lateral e ela praticamente desaparece na base, além de ter a possibilidade do efeito meia luz. São perfeitas para escritórios e para quem tem alergia, por serem mais fáceis de limpar.

 Simples assim:

• Se sua vista não for das mais bonitas, compense na cortina com cores quentes, vivas e alegres, isso vai equilibrar.

• Estampas só para ambientes grandes, do contrário pode poluir causando desconforto.

• Teto alto, cortina longa e que não passe muito da largura da janela.

• Teto baixo, cortina horizontalmente mais longa, ampliando o espaço.

• Combine o estilo da cortina com sua decoração, por exemplo: estampas florais não combinam com ambientes modernos, e por aí vai.

• Se bate muito sol em algum horário, escolha cortinas mais grossas, elas protegerão seus móveis dos raios do sol.

 

Tecidos:

• Voal: Fino, transparência delicada, normalmente usada para sobrepor algum tecido pesado de forro. Pode ser liso, vazado, de renda, rúsutico, estampado ou até mesmo bordado.

• Shantung: Seda tecida a mão que lembra o voal, mas não é tão transparente e é mais encorpado.

• Linho: Tecido nobre e encorpado originado das fibras flexíveis de uma planta herbácea.

• Seda: Toque macio e delicado, tecido nobre de ótima condutividade térmica, ou seja no calor absorve as temperaturas mais frescas da noite e no frio, mantém o calor do sol do dia.

• Sarja: É um padrão de tecelagem, o entrelaçamento mais justo deixa o tecido firme e pesado, usado mais comumente como forro, e se sozinho, em ambientes informais.

• Richalieu: Muito delicado, feito de rendas com bordados vazados, super fácil de lavar, ideal para cozinhas, quarto de bebês ou pessoas alérgicas.

• Blackout: Tecido de poliéster, bloqueia totalmente a passagem de luz, muito popular,  normalmente em salas para home theater e quartos. Hoje em dia já existem modelos com variedade de cor e até estampas.

Como escolher tecidos

O mercado de cama, mesa e banho cresceu muito e a variedade pode confundir na hora de escolher o melhor produto. O segredo, além do bom gosto, é escolher o tecido que vai corresponder às suas necessidades. Em alguns casos, os mais bonitos não são os mais resistentes e vice e versa. Neste post vou falar dos principais tecidos oferecidos no mercado, assim na próxima vez que for comprar não correrá riscos.

• Percal: Tecido de algodão fino e contextura apertada, proporcionando toque macio, em ponto tafetá, perfeito para um sono gostoso.

• Algodão Egípcio: Ideal para quem busca conforto e preza pela qualidade. Trata-se de um algodão cultivado no Egito, em fazendas às margens do Rio Nilo, por ter o clima e o solo ideais para sai plantação. Todo o processo de cultivo e colheita é manual, sem adição de produtos químicos, com fibras longas é muito macio. Por isso não são dos mais baratos, mas em compensação podem durar décadas.

• Malha: Vamos começar pelos tipos de malha, que é o tecido mais conhecido. Dizem que sua descoberta foi no Egito no século V a.C., com método de produção totalmente manual, e o primeiro tear de malha foi feito em 1589 por ingleses. De lá pra cá as técnicas só se aprimoraram, os fios se interpenetram com ajuda de agulhas, deixando o produto final mais leve e flexível, diferente do tecido plano onde a trama e o urdume se entrelaçam em um ponto final mais rígido, como os brins.

• Malha de Fio Penteado: Para eliminar impurezas os fios são literalmente penteados, o que também proporciona conforto, maciez, brilho e boa durabilidade.

• Matelassê: Duas camadas de tecido com fina espessura de manta no meio são costuradas de forma a ter efeito acolchoado. Normalmente usado em colchas.

• Cetim: Bem popular e presente em muitos lares, por ser brilhante e dar efeito sofisticado ao ambiente. É de seda, leve e de toque suave.

• Dupla face: Produto que pode ser usado tanto de um lado, quanto do outro, oferecendo, por exemplo, um lado liso e outro estampado. Legal para quem quer economizar e ter duas possibilidades de combinações com o ambiente.

• Patchwork: A tradução literal é “trabalho de retalho”, e é exatamente isso. A costura de vários retalhos, normalmente com diferentes estampas, dá um efeito único e irreverente. Cai bem em casas com decoração menos expressiva e cores neutras, já que chama muita atenção, se o ambiente tiver muitos elementos, pode poluir. Esse tecido de retalhos depois é acolchoado com uma manta acrílica e finalizado com a outra face, que costuma ser lisa.

Mas e os fios?

Quanto mais fios, mais macio é o produto e também mais caro, mas o custo benefício é muito satisfatório.

Algodão? Poliéster? Misto?

Calma, pode parecer confuso, mas é bem simples. Todos conhecemos o algodão, então dispensa maiores apresentações. O poliéster é uma fibra sintética usada para confeccionar tecidos de vários tipos. É resistente, fácil de lavar e seca rapidamente. O custo é mais baixo. Quando ler que o tecido é misto, quer dizer que mistura algodão e poliéster.

Caso tenha algum tipo de tecido que não conheça, e queira tirar duvida, ou alguma dica mande um e-mail para contato@dicasdacasa.com.br

Como montar o enxoval de noivos modernos?

Foi-se o tempo que tudo tinha que ser branco, isso vem do tempo em que mães de meninas escolhiam as peças, muitas vezes sem nem ter um pretendente para a filha. Bordados, florais e rendas se esgotavam nos estoques das lojas do ramo, eis que surge a pergunta: Mas e o noivo? Será que ele quer uma casa só com a cara da esposa? São novos tempos, noivas se casam com vestidos coloridos, tem noivo de tênis, casal entrando fazendo coreografia na igreja, casamento debaixo d’água, noivo com noivo, noiva com noiva… Enfim, chegou a hora de modernizar o conceito de enxoval de casamento.

Primeiramente você precisa saber o que não pode faltar:

• 2 Protetores de travesseiro impermeáveis;
• 1 Protetor de colchão casal, queen ou king;
• 3 jogos de lençol bem charmosos e fáceis de combinar;
• 1 colcha;
• 1 edredom;
• 1 cobertor leve, para dias quentes;
• 1 cobertor pesado, para dias frios;
• 4 jogos de banho;
• 2 roupões (se bordar o nome dos noivos ou as iniciais ficam ainda mais legais);
• 3 toalhas de mesa;
• 1 toalha de mesa mais elegante, para ocasiões especiais;
• 1 jogo americano;
• panos de copa;
• 2 aventais (sim, porque hoje vai todo mundo pra cozinha).

Na hora de montar o enxoval é fundamental analisar o estilo dos pombinhos, que nem sempre gostam das mesmas coisas, então vale a pena equilibrar. Para aqueles que gostam de moda, dê uma checada nas tendências, sem esquecer que elas passam, podendo desagradar após um tempo. Minha dica são tons neutros e estampas discretas, assim nunca brigarão com a mobília.

Fique de olho na qualidade do produto, a durabilidade é fator determinante na escolha, e muita calma nessa hora! Existem diversos mitos sobre tecidos, que serão desvendados no próximo post, onde vou falar sobre o tema.

Confira algumas dicas legais para acertar na compra:

Protetor de travesseiro:

Protetor de colchão:

Jogo de lençol 1:

Jogo de lençol 2:

Pano de Copa:

Cobertor:

Kit Cozinha:

Toalha de Mesa: