Como escolher tecidos

O mercado de cama, mesa e banho cresceu muito e a variedade pode confundir na hora de escolher o melhor produto. O segredo, além do bom gosto, é escolher o tecido que vai corresponder às suas necessidades. Em alguns casos, os mais bonitos não são os mais resistentes e vice e versa. Neste post vou falar dos principais tecidos oferecidos no mercado, assim na próxima vez que for comprar não correrá riscos.

• Percal: Tecido de algodão fino e contextura apertada, proporcionando toque macio, em ponto tafetá, perfeito para um sono gostoso.

• Algodão Egípcio: Ideal para quem busca conforto e preza pela qualidade. Trata-se de um algodão cultivado no Egito, em fazendas às margens do Rio Nilo, por ter o clima e o solo ideais para sai plantação. Todo o processo de cultivo e colheita é manual, sem adição de produtos químicos, com fibras longas é muito macio. Por isso não são dos mais baratos, mas em compensação podem durar décadas.

• Malha: Vamos começar pelos tipos de malha, que é o tecido mais conhecido. Dizem que sua descoberta foi no Egito no século V a.C., com método de produção totalmente manual, e o primeiro tear de malha foi feito em 1589 por ingleses. De lá pra cá as técnicas só se aprimoraram, os fios se interpenetram com ajuda de agulhas, deixando o produto final mais leve e flexível, diferente do tecido plano onde a trama e o urdume se entrelaçam em um ponto final mais rígido, como os brins.

• Malha de Fio Penteado: Para eliminar impurezas os fios são literalmente penteados, o que também proporciona conforto, maciez, brilho e boa durabilidade.

• Matelassê: Duas camadas de tecido com fina espessura de manta no meio são costuradas de forma a ter efeito acolchoado. Normalmente usado em colchas.

• Cetim: Bem popular e presente em muitos lares, por ser brilhante e dar efeito sofisticado ao ambiente. É de seda, leve e de toque suave.

• Dupla face: Produto que pode ser usado tanto de um lado, quanto do outro, oferecendo, por exemplo, um lado liso e outro estampado. Legal para quem quer economizar e ter duas possibilidades de combinações com o ambiente.

• Patchwork: A tradução literal é “trabalho de retalho”, e é exatamente isso. A costura de vários retalhos, normalmente com diferentes estampas, dá um efeito único e irreverente. Cai bem em casas com decoração menos expressiva e cores neutras, já que chama muita atenção, se o ambiente tiver muitos elementos, pode poluir. Esse tecido de retalhos depois é acolchoado com uma manta acrílica e finalizado com a outra face, que costuma ser lisa.

Mas e os fios?

Quanto mais fios, mais macio é o produto e também mais caro, mas o custo benefício é muito satisfatório.

Algodão? Poliéster? Misto?

Calma, pode parecer confuso, mas é bem simples. Todos conhecemos o algodão, então dispensa maiores apresentações. O poliéster é uma fibra sintética usada para confeccionar tecidos de vários tipos. É resistente, fácil de lavar e seca rapidamente. O custo é mais baixo. Quando ler que o tecido é misto, quer dizer que mistura algodão e poliéster.

Caso tenha algum tipo de tecido que não conheça, e queira tirar duvida, ou alguma dica mande um e-mail para contato@dicasdacasa.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>